Buscar
  • Fernanda Oliveira

Dor lombar e Cervical - Tratamento e Dicas

Atualizado: 10 de Ago de 2020

Dor nas costas, dor no pescoço, dor no ombro, dores musculares, dor de cabeça, muitas vezes estão relacionados a coluna.


A dor na coluna afeta 540 milhões de pessoas no mundo todo e é a grande causa de afastamento do trabalho.


No Brasil, 35 milhões de pessoas sofrem com dor nas costas.


É a segunda condição de saúde mais comum, ficando atrás somente da hipertensão arterial, segundo IBGE.






Neste artigo você encontrará:

  • Principais sintomas relacionados

  • Principais causas de dor lombar e cervical

  • Tratamento

  • Dor lombar em gestantes – orientações

  • Dicas para quem trabalha ou fica muito tem em pé

  • Dicas para quem trabalha no computador

  • Dicas para quem usa muito o notebook

  • Dicas para viagens longas

Meu nome é Fernanda, sou fisioterapeuta em Belo Horizonte, CREFITO4 1921812F.


Principais sintomas relacionados


Problemas na coluna cervical, podem provocar além de dor no pescoço (cervicalgia), vários outros sintomas tais como, dor de cabeça, dor no fundo dos olhos, dor de ouvido, dor no crânio, rigidez muscular, tensão, dor no ombro, dor no peito, adormecimento dos braços.


Problemas na Coluna lombar além de dor na região lombar (lombalgia), podem provocar dor nas pernas, dor ciática que erradia pelas pernas até os pés.


Principais fatores que causam dor


  • Excesso de esforço físico com sobrecarga na coluna: levantar muito peso, movimento brusco, excesso de atividade física;

  • Sedentarismo (falta de atividade física regular), com a consequente fraqueza e encurtamento muscular;

  • Lesões decorrentes da prática do esporte;

  • Estiramento muscular ou ligamentar no quadril ou glúteos que pode refletir na coluna devido a compensações causadas pela dor;

  • Traumas: acidentes, quedas;

  • Fraturas ocorridas nas vértebras;

  • Hérnia de disco. Uma compressão dos discos intervertebrais que pode ocorrer em qualquer idade;

  • Osteoartrose. Desgaste dos discos da coluna, observada principalmente em idosos;

  • Má postura:

  • Desvios posturais. Uma curvatura acentuada da coluna pode forçar uma compensação, que acaba gerando dor;

  • Obesidade. O excesso de peso sobrecarrega os músculos e articulações, bem as vértebras;

  • Estresse. Quando estressados, tendemos a contrair involuntariamente os músculos, causando pontos de tensão ou trigger points.

  • Dores de cabeça de origem tensional

  • Falta de sono

  • Lesões de ombros, cotovelos e coluna refletindo no pescoço

  • Encurtamento e fraqueza muscular na região do pescoço, ombros e coluna torácica;

  • Disfunção da ATM (Articulação Têmpora Mandibular – responsável pelo movimento da boca – mastigação, fala etc

Quando procurar um tratamento


Ocasionalmente, todos podemos ter um episódio de dor. Um “mal jeito” que pode incomodar por alguns dias.

Normalmente este tipo de dor desaparece sem nenhuma ação.

Devemos procurar um profissional no caso de dores que se tornaram crônicas. Dor persistente que irradia para outras áreas do corpo, sensação de formigamento ou falta de força

A pessoa se acostuma a tomar um medicamento para melhorar, mas a dor volta.


Tratamento

Segundo pesquisas publicadas recentemente no “The Lancet”, pessoas no mundo todo estão recebendo tratamento por meio de medicamentos, injeções, cirurgias, além do excesso de exames de imagem realizados.

O tratamento inadequado além de não resolver o problema, pode ser prejudicial por causar uma falsa ilusão de melhora.

A verdadeira causa do problema não é tratada e tende a piorar ao longo do tempo, causando desanimo e gastos desnecessários ao paciente.

Recomendações mais recentes demostram que um tratamento fisioterápico adequado e se manter ativo são bem eficazes.

Por que medicamentos e repouso não são adequados?

O medicamento é paliativo não solução.

O repouso mesmo parecendo ser algo positivo, pode ser prejudicial pelo fato de que o corpo foi feito para movimentar e ficar em repouso pode causar encurtamentos, atrofia, limitação do movimento e deformidades.

Fisioterapia

No tratamento fisioterapêutico é importante iniciar com uma avaliação.


Será observada a postura, limitação do movimento, queixas de dor, encurtamentos e desequilíbrios musculares, equilíbrio do corpo, histórico de saúde e rotinas de atividade física.


Análise de exames de imagem, caso o paciente os possua.


A partir da avaliação é traçado um plano de tratamento personalizado, com foco na funcionalidade, melhora dos movimentos, alongamento, força muscular, equilíbrio e dor.


Levando em conta também os objetivos e estilo de vida do paciente, pois cada pessoa é única.


Pode ser realizado um trabalho de RPG (Reeducação Postural Global), que propicia a melhora da postura, alívio de dores e tensões musculares e consciência corporal.


O RPG trabalha com 3 premissas:


Individualidade – cada ser humano é único.

Causalidade – Busca da verdadeira causa que pode estar distante do sintoma, ou seja uma dor na coluna pode ser uma compensação que o corpo criou devido a uma lesão no joelho, por exemplo.

Globalidade – O corpo deve ser tratado como um todo, evitando migrar o problema para outro lugar.

Com meus pacientes, utilizo também outros métodos e técnicas da fisioterapia como terapia manual, liberação miofascial, exercícios de ganho de movimento, força muscular e equilíbrio, aliados ao RPG.

O tratamento é adaptado de acordo com a necessidade do paciente.


Dor lombar nas gestantes



A dor lombar atinge 50% das gestantes podendo limitar tarefas do trabalho e do dia-a-dia.

Durante a gravidez o corpo da mulher sofre alterações e há uma exigência extra sobre o organismo.


Existem posições impossíveis de serem realizadas na gravidez. Isso ocasiona posturas inadequadas, fadiga, desconforto, aumento de lesões ortopédicas e incapacidade de realizar tarefas.

Veja 6 orientações para as gestantes no seu dia-a-dia:

1. Ao dormir é importante deitar do lado esquerdo por diminuir a compressão da artéria aortocava e favorecer a circulação sanguínea.

2. Ao levantar não deve fletir o tronco partindo da posição deitada, pois sobrecarrega a coluna e favorece um afastamento dos músculos retos abdominais.

3. Ao executar tarefas em pé, colocar um apoio no chão e alternar as pernas para diminuir a sobrecarga na coluna.

4. Carregar sacolas nos dois braços dividindo o peso. NUNCA a frente do corpo, pois o volume abdominal somando a carga excessiva sobrecarregará ainda mais a coluna.

5. Sentar-se para calçar meias e sapatos cruzando uma perna sobre a outra.

6. A mulher grávida possui uma frouxidão ligamentar devido a hormônios e mudança corporal que causa instabilidade e desequilíbrios, podendo sofrer quedas e entorses. Sapatos devem ter firmeza e conforto. Saltos devem ter de 2 a 3 cm. Sandálias de tiras mais largas dão mais estabilidade.

Dicas para quem fica muito tempo em pé



Ficar muito tempo em pé pode ocasionar maior impacto na coluna e maior sobrecarga em toda musculatura da coluna e membros inferiores (quadril, joelho e pé).

As dicas abaixo podem ajudar:

  1. Não usar calçado muito alto e nem muito baixo. Usar um calçado com salto de 2 a 3 cm de altura, evitando saltos finos;

  2. Alternar o apoio nos pés, jogando o peso do corpo ora para um lado, ora para o outro;

  3. Se possível, a cada duas horas sentar por pelo menos 10 minutos;

  4. Manter uma boa postura também auxilia na diminuição da dor, já que a má postura leva a encurtamentos, fraquezas e tensão muscular;

  5. É importante realizar uma atividade física para manter a musculatura forte e suportar a sobrecarga exercida sobre ela.


Dicas para quem trabalha no computador


  1. A tela do computador deve ficar na altura dos olhos para que o pescoço não fique muito baixo e nem muito alto;

  2. Apoio para braços e cotovelos para que não sobrecarregue a musculatura de ombros e cotovelos e assim cause tensão muscular na região do pescoço;

  3. Apoio para os pés para que quadril não fique muito para frente e consequentemente sobrecarregue a musculatura da região lombar;

  4. Levantar a cada duas horas para que o corpo se movimente e não cause desgaste e sobrecarga na musculatura, descansando da posição;

  5. Manter a postura o mais correta possível para que não sobrecarregue a coluna. Evitando permanecer em postura inadequada, como por exemplo, quando ficamos com o quadril para frente, curvando a coluna.



Se é difícil para quem utiliza um Desktop para trabalhar, seguir as orientações ergonômicas, imagina para quem utiliza um notebook.

É um grande desafio!

A sua principal virtude que é a praticidade de ser utilizado em quase qualquer lugar, é também o seu principal pecado quando se trata de ergonomia.

Dicas para quem usa muito o Notebook


  1. Procure não deixar o notebook muito baixo para não sobrecarregar o pescoço. Se não tiver apoiado na mesa pode-se colocar um travesseiro ou almofada para apoiar o notebook e assim ficar mais próximo da linha dos olhos.

  2. Se estiver na cama ou no sofá procure não dobrar as pernas. O ideal é ficar com as pernas esticadas ou apoiadas no chão.

  3. É importante que a coluna fique encostada no sofá, na cama, na cadeira podendo colocar um travesseiro ou almofada nas costas para se manter o mais reto possível evitando a coluna flexionar, ou seja, quanto mais curvada, mas sobrecarga ira gerar.

Dicas para viagens longas

Quando fazemos viagens longas de carro, devemos parar algumas vezes, para “esticar as pernas” e até por segurança.

Em viagens de ônibus, temos as paradas previstas que devemos usar como oportunidade para nos movimentar.




Mas quando a viagem é longa e de avião, devemos ter alguns cuidados extras:

  1. Se possível, se levantar e caminhar a cada duas horas;

  2. Exercitar a panturrilha da seguinte forma: Ficar de pé apoiando o corpo com uma das mãos e elevar o corpo ficando na ponta dos pés. Fazer 3 repetições de 10 levantadas. Esse exercício é importante para que trabalhe a musculatura, gerando movimento e fique menos tensionada já que estava parada. Além de prevenir também contra trombose, que é um risco para quando realiza viagens muito prolongada. Pode ser realizado a cada 4 horas;

  3. Usar um apoio para o pescoço. A cabeça tende a ficar indo de um lado para outro ou para frente quando estamos dormindo sentado. O que pode acabar gerando sobrecarga no pescoço podendo refletir na coluna;

  4. Usar roupas e sapatos confortáveis. Sapato muito alto ou apertado e a roupa também muito apertada poderão causar incômodo na coluna e sobrecarga nos músculos.

As dicas são importantes para qualquer pessoa, mas se você já sente dor lombar independente das situações acima, é importante uma avaliação com fisioterapeuta.

Após o tratamento é importante que realize regularmente uma atividade física para manter a força da musculatura, equilíbrio, alongamento e movimento, com orientação do fisioterapeuta.

Fernanda Oliveira - fisioterapeuta em Belo Horizonte

Conheça mais sobre o meu trabalho


IR PARA O SITE


ME SIGA NO INSTAGRAM


#dorlombar #tratamentodornascostas

750 visualizações