Buscar
  • Fernanda Oliveira

Desvios Posturais - Escoliose - Hiperlordose e Hipercifose

Atualizado: 23 de Nov de 2020

Os desvios posturais são deformações na coluna vertebral.

Estes desvios podem causar dor e diminuição da mobilidade.

Além disso, a aparência vai ficando cada vez mais alterada, afetando a imagem corporal e a autoestima.

Neste texto:

  • A coluna vertebral

  • Escoliose – Características – sintomas - causas

  • Como identificar a escoliose em crianças e adolescentes

  • Hiperlordose - Características – sintomas - causas

  • Hipercifose - Características – sintomas - causas

  • Diagnóstico de desvios posturais

  • Tratamento

  • Uso de coletes para correção postural



A COLUNA VERTEBRAL


A coluna vertebral não é reta. Possui curvas naturais, no entanto,

vista por trás aparenta ser reta, alinhada.


A coluna vertebral é também chamada de espinha dorsal. Superiormente, ela se articula com o crânio e inferiormente se articula com o osso do quadril (ilíaco).


A coluna vertebral suporta o peso do corpo, protege a medula espinhal e os nervos espinhais, é responsável pela flexibilidade do corpo, além de exercer um papel muito importante na postura e na locomoção.


Podem ocorrer desvios anormais na coluna ou mesmo acentuação das curvas normais já existentes.


Dependendo de onde ocorrem e de suas características, classificamos como Escoliose, Hiperlordose e Hipercifose




ESCOLIOSE


É uma deformação morfológica da coluna vertebral nos três planos do espaço assim, a coluna realmente se torce, não somente para os lados, mas para frente e para trás e em volta do seu próprio eixo.


O mais obvio é a coluna vertebral fazendo uma curva sinuosa, mas também é visível uma assimetria dos dois lados do corpo.


Essa torção em maiores graus determina a gravidade da escoliose e a forma de ser tratada.


Sintomas da Escoliose


Escolioses muito graves, seja em crianças, adolescentes ou adultos, podem afetar órgãos, comprimindo pulmões, coração, fígado ou rins, além de dores intensas, tendo repercussões negativas na saúde.


Classificação das curvaturas escolióticas:

  • cervicotorácicas (pescoço e meio das costas);

  • torácicas (meio das costas);

  • toracolombares (meio das costas e parte baixa da coluna);

  • lombares (parte baixa da coluna);

  • lombossacrais (parte baixa da coluna e região do quadril).

Causas da Escoliose:

  • Idiopática : causa desconhecida (70% dos casos);

  • Neuromuscular : sequela de doenças neurológicas, como por exemplo poliomielite, paralisia cerebral;

  • Congênita : originada de uma má-formação;

  • Pós-traumática.



Como identificar a Escoliose em crianças e adolescentes


É possível através da observação que os pais ou responsáveis percebam alterações físicas na postura dos filhos. As dicas abaixo podem ajudar a decidir se é hora de consultar um fisioterapeuta:

  • Ombros ou quadris assimétricos: um lado mais alto ou projetado mais para frente que o outro;

  • Coluna vertebral curvada anormalmente para um dos lados: desvio lateral da coluna para direita ou esquerda, tornando o formato da coluna em “C” ou em “S”;

  • Desconforto muscular relacionado a pontos de tensão: em geral a criança ou adolescente não reclama de dor, exceto em casos mais graves.

A partir dos 10 anos de idade é quando há maior chance de desenvolver escoliose (denominada como escoliose infantil ou juvenil), devido ao início do estirão do crescimento. Um crescimento ósseo pode ocorrer muito rápido.

Quando há um desequilíbrio dos músculos, ocorre um agravamento das curvas.



HIPERLORDOSE


A Lordose é uma curvatura normal da coluna vertebral para frente chamada de curva anterior, na região cervical e lombar.


A Hiperlordose é quando se situa em outra parte da coluna vertebral ou quando é muito acentuada.

Hiperlordose lombar

É o aumento excessivo da curva na região baixa da coluna.

É caracterizada pelo “bumbum empinado” e abdômen para frente.


Está associada a uma anteversão pélvica, no qual o quadril se encontra projetado para frente.

Consequentemente há um realinhamento de todas as outras curvas da coluna para uma compensação.


A anteversão pélvica pode estar associada a um desequilíbrio dos músculos abdominais e glúteos, que estão enfraquecidos, e na musculatura lombar que se apresenta encurtada.


Retificação da lordose lombar

Está associada a retroversão da pelve, originando uma costa plana ou seja uma coluna reta sem curvatura, com diminuição da mobilidade e dos movimentos.

Hiperlordose cervical

Ocorre um aumento da curva do pescoço, fazendo com que a cabeça se projete para frente, causando um encurtamento dos músculos da parte de trás da cabeça.

A hipercifose pode causar a hiperlordose cervical, já que na hipercifose ocorre encurtamento dos músculos peitorais, os ombros ficam “encolhidos” e a cabeça é projetada para a frente.

Retificação da lordose cervical

É caracterizada pela diminuição da lordose e consequentemente um pescoço reto, com diminuição de mobilidade e dos movimentos.

Sintomas da hiperlordose:

  • Modificação da postura do corpo;

  • Limitação da mobilidade da coluna.

Causas da hiperlordose:

  • Má postura;

  • Fadiga;

  • Fraqueza muscular;

  • Gravidez;

  • Obesidade.

HIPERCIFOSE

É a curvatura excessiva da coluna vertebral que faz com que a parte superior das costas, no meio das costas, fique mais arredondada ou arqueada que o normal, popularmente conhecida como “corcunda”


É uma condição característica de pessoas idosas, mas é observada também em adolescentes e adultos jovens.

Em casos mais graves pode causar alterações respiratórias.

Isto pode ocorrer porque há uma diminuição do espaço da caixa torácica que abriga os órgãos do sistema respiratório (Coração e pulmão).

Sintomas da hipercifose:

  • Dor nas costas;

  • Falta de mobilidade;

  • Sensibilidade da coluna vertebral;

  • Fadiga.

Causas da hipercifose:

  • Má Postura;

  • Formação anormal das vertébras (Cifose de Scheuermann);

  • Cifose congênita ( formação anormal da coluna vertebral no útero);

  • Envelhecimento;

  • Lesão da coluna vertebral.


DIAGNÓSTICO DOS DESVIOS POSTURAIS

O diagnóstico pode ser feito através de avaliação fisioterapêutica individual em consultório, sem necessidade de exames de imagem.


É feita uma comparação dos dois lados do corpo à direita e esquerda da pessoa nas vistas anterior, posterior e lateral, observando possíveis diferenças e assimetrias (desníveis) e aumento de curvaturas.


Possíveis encurtamentos e fraquezas musculares são verificados e a sua correlação com os desvios.

TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO

O tratamento da escoliose, hiperlordose e hipercifose baseia-se, dentre outros fatores, na idade, na flexibilidade, na gravidade da curva e na sua causa.


Cada pessoa é um caso único. O tratamento deve ser totalmente personalizado já que o conjunto de fatores que acarretou a condição é único para cada pessoa.


O meu plano de tratamento inclui o método RPG (Reeducação Postural Global), exercícios para fortalecimento, alongamento e equilíbrio muscular, além da liberação dos pontos de tensão através da Liberação Miofascial.


Ganha-se uma nova consciência corporal reconhecendo e identificando processos e movimentos do seu corpo, internos e externos, aprendendo a se posicionar corretamente e a não exigir mais do que o limite de sua coluna, isso garante uma vida sem dores e patologias.


Independente da idade, todos podem se beneficiar com um tratamento personalizado, quer seja para alívio das dores ou melhora da postura.



Tratamento - Escoliose


A escoliose não pode ser curada, mas um tratamento fisioterapêutico pode parar a progressão do desvio e proporcionar uma sensível melhora estética.


Crianças e adolescentes: o tratamento pode ser mais efetivo, inclusive com regressão.

Em casos mais graves é indicado o uso de coletes ou cirurgia, que não dispensam o tratamento fisioterapeutico.

O RPG é indicado a partir de 10 anos de idade.


Tratamento - Hiperlordose e Hipercifose


O desvio pode regredir através do tratamento fisioterapêutico proporcionando um excelente resultado estético.



USO DE COLETES PARA CORREÇÃO POSTURAL



Coletes para correção postural só devem ser usados quando prescritos e acompanhados por médico ortopedista.

Em geral só são indicados em casos de Escoliose grave em crianças e adolescentes.


O uso de colete sem prescrição, além de não melhorar a postura, pode até mesmo prejudicar a coluna já que a musculatura imobilizada tende a atrofiar.


Fernanda Oliveira

Fisioterapeuta em Belo Horizonte - atendimento individual em consultório.


VISITE MEU SITE

#desviosposturais #RPGparadesviosposturais

1,409 visualizações